terça-feira, 25 de agosto de 2015

Declarado

Amor é pouco.
Pouco diante da intensidade.
Da sinceridade.
Da paz que trago no coração.
É mais que o viver...
O amor que tenho.
Que declaro...
É mais do que sonho.
É ar. Vento. Brisa.
Sol. Lua. Eclipse.
Mais do que viver.
Que deixar de existir.
É tudo. O nada.
É muito. O pouco.
É você. Sou eu.
O que faz de nós.
Nós.

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

A saudade e o vento

O vento...
Algo que não vemos, mas sentimos.
A saudade se parece com ele.
Pois nos toca como um vento gelado.
Para nos lembrar que algo existe dentro de nós.

Sentir saudades...
Aquele aperto no peito.
Aquele frio na barriga...
Parece que há um pouco de vento lá dentro.
A saudade aumenta a expectativa.

Aumenta a esperança...
Aumenta o sentimento.
O sentimento...
Um sentir.
Um gostar.

A falta.
Do que se tem, ou se teve...
De quem se tem, ou se quer ter.
Do que não se pode explicar.
Do indefinível.

Mas, por mais que aperte os corações.
A saudade é algo bom.
Nos revela...
Que ali dentro existiu algo que marcou.
E aqui, se distancia do vento...

Deixa de se parecer com ele.
Pois o vento marca apenas por um momento...
E em seguida, passa.
A saudade marca... Mas não por um instante.
Ela permanece por toda uma vida.

Revelando que, se sente falta...
É porque é inesquecível.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Passos construídos

Prefiro caminhar...
Com passos lentos.
Aproveitar as belezas da estrada.
Sem perder os detalhes.
 

Valorizar as cores.
Ter tempo!

Descobrir sabores...
Prefiro esperar.

Sem pressa.
Apreciar as águas do rio...
Que parecem lentas...
Mesmo na sua velocidade habitual. 

Prefiro o hoje.
A pensar no amanhã. 
Sem ansiedades...
Ou expectativas.

Não desejo muitas amizades.
Apenas as sólidas.
Quero apenas um único amor.
Forte, renovado. 

Não ofereço nada em troca.
Somente a certeza... 
De que, da minha parte...
É sincero. Foi construído. 

Não invejo. 
Não retribuo mágoa.
Sou mais do que me vê. 
Mais do que convive.

Sem pressa.
Se erra. E acerta. 
Amadurece.
Aprende a valorizar.

O sólido. 
Aquilo que é forte. 
Mesmo na distância.
Acima das aparências. 

Quando assim o é...
A vida ganha novos tons.
Cores, sabores...
Caminhos. 

Alcanço metas!
Outrora perdidas.
Renovo sonhos todos os dias.
E vivo... Apenas vivo. 

Novas histórias.
Passos novos.
Consistentes.
Mas lentos...

Que é para manter o rumo.


quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Coragem

Tentar, quando não se sabe se o caminho errado, pode machucar, ferir. As chances de magoar a si mesmo ou a quem se quer bem são certas. Para caminhar no escuro, é preciso coragem! E ter medo de assumir que a tentativa não deu certo pode resultar em algo desastroso.

Dito isto e se não compreendido, vamos à explicação. Não é raro me deparar com atitudes covardes. Confesso que, comportamentos desta natureza já me levaram a ser fraca. Sendo essencial evitar que a pessoa ao seu lado decida por você... 

Se isso acontece, você perde o momento e, quando percebe, perdeu tempo! E ele é tão precioso... Só quando se perde se consegue calcular o real valor que o tempo tem! Ele influencia tudo e todos... Covardes: que têm medo das ações do tempo. E corajosos: que o enfrentam com a lucidez de um sábio.

Ao agir com covardia, chorei e sangrei. Desisti e perdi momentos, deixei o tempo passar. A vida correr... Fui conduzida pela inércia. Não lutei por mim. Deixei de brigar pelo que sempre quis e sonhei... Reitero aqui que fui covarde comigo mesma e com quem estava à minha volta... E não há vergonha em dizer isso.

É necessário, portanto, ressaltar que o mundo também é feito corajosos. E  é com orgulho que digo: sou uma dessas pessoas que não têm medo de assumir o erro. Disse para mim mesma "não dá mais". Assumi que as inúmeras tentativas não deram certo e não persisti no erro. 

Adquiri força e coragem, errando, e errando muito! E não lamento. Viver proporciona amadurecimento. E isso nem sempre está relacionado à idade ou experiências. E sim à forma como você vai escrever sua história, mesmo que, para isso, precise atropelar aqueles que, por covardia, não têm coragem de enfrentar a vida.


segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Reafirmação do amor

Amo-te.
Pelos muitos sorrisos que deixas em minha face.
Pelas gargalhadas que arrancas de mim.
E pelo desvio de pensamento a cada minuto.

Amo-te.
E me vejo em uma posição um tanto quanto delicada.
Sim, estou indefesa, desprotegida.
E não consigo mais resistir...

Amo-te.
E mais do que isso.
Desejo-te. Como nunca, como agora e como sempre.
Perdi o controle e o rumo...

Amo-te.
E por adorar-te, sinto um sabor novo no viver...
Deixei meu lado inconsequente dominar-me.
Porque a loucura do ser é o que me faz me sentir viva.

Amo-te.
Pois perdi o medo do desconhecido.
Não temo as incertezas e duvido das dúvidas.
E percebo que o futuro não importa, se você está aqui.

Amo-te. e aqui, entrego-me.